A Armadilha do nome “Qualidade Total”

Celso Estrella

Tomei contato com a “Qualidade Total” na década de 80 por meio do nome: “TQC – Total Quality Control”. Na época, eu trabalhava como Gerente de Engenharia Industrial da Firestone, exatamente quando a empresa foi adquirida pela japonesa Bridgestone.
Aprendi a importância da “pregação” do Dr. Deming sobre os 14 Princípios da Qualidade, que são na verdade princípios de administração geral e de posturas empresariais, relacionados não só com setor de Controle da Qualidade, mas também com as demais atividades de uma empresa.
Da mesma forma, a ISO 9001 tem sido confundida com a qualidade do produto ao invés da qualidade do sistema e de processos a que ela realmente se destina. O uso do nome Qualidade Total tem sido restrito às atividades de inspeção e laboratório.
A maior prova de que a Qualidade Total foi a grande alavanca que transformou o Japão em uma das maiores economias e centros de inovação mundial, é o fato de ter sido dado ao prêmio nacional da qualidade o nome “Prêmio Deming”. Isso, apesar do nacionalismo exacerbado e da significativa contribuição de vários mestres japoneses como Kaoru Ishikawa, Shigeo Shingo, Masaaki Imai, Taguchi entre tantos outros.
Cada vez que a Qualidade Total é atrelada simplesmente ao Controle da Qualidade, esses gurus devem revirar-se nas tumbas, pois sua mensagem não foi captada.
Minha amiga bibliotecária me pergunta: “Mas, a Qualidade Total pode então ser aplicada ao dia a dia das pessoas, em casa ou na comunidade, por exemplo?” e minha resposta é SIM. Qualidade Total é qualidade de vida. É exercer suas atividades buscando a excelência, melhoria continua, satisfação do cliente interno e externo.
Qualidade Total é estar no controle do que você faz, reduzir as surpresas desagradáveis que podem ser desde um desentendimento com o ser amado, até uma devolução de produto por parte de um cliente insatisfeito.
Qualidade Total é buscar o aprendizado contínuo, seja numa tarefa simples ou extremamente complexa, em um hospital, banco ou padaria, tanto quanto em uma fábrica.
Minha vida mudou quando conheci a filosofia do Dr.Deming. Assim como os japoneses, busco qualidade em tudo que faço e a cada dia percebo como é grande a distância que me separa da excelência, pois quanto mais aprendo mais o meu universo se amplia. “Só sei que nada sei” – Sócrates.
Àqueles que tiverem o desejo de se aprofundar no assunto, apresento ao final deste artigo o enunciado dos 14 Princípios da Qualidade, para que entendam não se tratar apenas da área de produção ou dos engenheiros da fábrica, mas sim de empresários, gestores e colaboradores de todas as áreas e ramos da atividade humana. Também recomendo conhecerem melhor o PNQ –  Prêmio Nacional da Qualidade no sitewww.fnq.org.br e os livros do Prof. Falconi.
Nomes de impacto são muito importantes no mundo de hoje, mas vou continuar com esse: Qualidade Total !
Willian Edward Deming (1900-1993) estatístico, professor universitário, autor, palestrante e consultor americano desenvolveu os 14 princípios da administração e suas recomendações só foram aceitas por parte das empresas americanas depois de sua aplicação no Japão.
Os 14 Princípios da Administração de Deming

1 – Criar constância de propósito de aperfeiçoamento do produto e serviço, a fim de torná-los competitivos, perpetuá-los no mercado e gerar empregos.
2 – Adotar uma nova filosofia. Vivemos numa nova era econômica. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança em direção à transformação.
3 – Acabar com a dependência de inspeção para a obtenção da qualidade. Eliminar a necessidade de inspeção em massa, priorizando a internalização da qualidade do produto.
4 – Acabar com a prática de negócio compensador baseado apenas no preço. Em vez disso, minimizar o custo total. Insistir na ideia de um único fornecedor para cada item, desenvolvendo relacionamentos duradouros, calcados na qualidade e na confiança.
5 – Aperfeiçoar constante e continuamente todo o processo de planejamento, produção e serviços, com o objetivo de aumentar a qualidade e a produtividade e, consequentemente, reduzir os custos.
6 – Fornecer treinamento no local de trabalho.
7 – Adotar e estabelecer liderança. O objetivo da liderança é ajudar as pessoas a realizar um trabalho melhor. Assim como a liderança dos trabalhadores, a liderança empresarial necessita de uma completa reformulação.
8 – Eliminar o medo.
9 – Quebrar as barreiras entre departamentos. Os colaboradores dos setores de pesquisa, projetos, vendas, compras ou produção devem trabalhar em equipe, tornando-se capazes de antecipar problemas que possam surgir durante a produção ou durante a utilização dos produtos ou serviços.
10 – Eliminar slogans, exortações, e metas dirigidas aos empregados.
11 – Eliminar padrões artificiais (cotas numéricas) para o chão de fábrica, a administração por objetivos (APO) e a administração através de números e metas numéricas.
12 – Remover barreiras que despojem as pessoas de orgulho no trabalho. A atenção dos supervisores deve voltar-se para a qualidade e não para números. Remover as barreiras que usurpam dos colaboradores das áreas administrativas e de planejamento/engenharia o justo direito de orgulhar-se do produto de seu trabalho. Isso significa a abolição das avaliações de desempenho ou de mérito e da administração por objetivos ou por números.
13 – Estabelecer um programa rigoroso de educação e autoaperfeiçoamento para todo o pessoal.
14 – Colocar todos da empresa para trabalhar de modo a realizar a transformação. A transformação é tarefa de todos.

 

Fonte: pt.wikipedia.org/wiki/W._Edwards_Deming

Fonte: Autoria Celso Estrella é Diretor da CriaCorp – Desenvolvimento Empresarial, 30 anos de experiência corporativa em empresas de grande porte. Engenheiro Industrial especialista em Técnicas Japonesas de Gestão. Professor responsável pela disciplina “Organização Industrial – FATEC – SP” e facilitador na área de Qualidade Total de instituições como: SEBRAE, SENAI, FGV e ACSP.  Com vasta experiência internacional, atuou como gerente de Engenharia Industrial, gerente de Produção e PCP atendendo as principais montadoras de veículos. Gerente de Suporte Técnico e Treinamento Brastemp e Consul. Criador do Fórum do Treinamento/Conselho da Qualidade/Grupo de Referência. Coordenador e autor do livro Qualidade Total – Organizações Excelentes. retirado da Pagina da Dialex. Ano XXXI   Edição nº 18   Brasília, sexta-feira, 25 de janeiro de 2013. Ed. Consulex.

0 Responses to “A Armadilha do nome “Qualidade Total””



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Bem-vindo! O que acessar aqui?

Blog Couto Lex's de utilidade pública, com informação especializada. Contém orientações essenciais sobre a temática na área jurídica e outras considerações transdisciplinares. Para facilitar o seu contato e esclarecer dúvidas sobre o assunto, veja abaixo um sumário dos assuntos já abordados nos posts.

Siga o Blog Via Facebook

Parceiro do Blog

 HG Couto Consultoria Publicações Eletrônicas

HG Couto Consultoria Publicações Eletrônicas

Macetes Esquematizados para Concursos Públicos

Anuncie aqui

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.